CRIATIVIDADE, UM DOS SEGREDOS PARA O SUCESSO DE UM RESTAURANTE!

equipe do seu restaurante
5 DICAS PARA MELHORAR O DESEMPENHO DA EQUIPE DO SEU RESTAURANTE
18 de maio de 2017
obrigações legais de um restaurante
OBRIGAÇÕES LEGAIS DE UM RESTAURANTE
1 de junho de 2017

CRIATIVIDADE, UM DOS SEGREDOS PARA O SUCESSO DE UM RESTAURANTE!

restaurantes que deram certo

restaurantes que deram certo

“Conheça exemplos de restaurantes que deram certo por conta da criatividade”

Segundo levantamentos feito pelo Sebrae, de cada 10 (dez) restaurantes pelo menos 7 (sete) fecham as portas antes de dois anos de atividade. No entanto, o mercado não está saturado com a quantidade de restaurantes, havendo também uma estatística de que a população destina habitualmente 30% de sua renda com alimentação fora de casa.

Alguns empresários conseguiram superar os números do levantamento do Sebrae, tornando-se proprietários de restaurantes que deram certo e isso foi conquistado, principalmente, pela criatividade.

Veja, neste artigo, alguns exemplos desses restaurantes que deram certo por conta da criatividade!

Boteco Chique

O pai de Rodrigo era dono de um boteco muito mal arrumado, com quatro pessoas atendendo e, sempre que falava em assumir a direção, o pai o descartava, dizendo que ele devia estudar.

Um dia, Rodrigo aproveitou que o pai havia feito uma viagem de férias e fez a primeira reforma, transformando o boteco num salão com quatro mesas e com textura de terracota nas paredes. Aos poucos, foi conquistando a simpatia do pai.

Quando assumiu o Boteco, Rodrigo só tinha um fogão caseiro bastante surrado. Hoje, tem dois fornos combinados, um grande congelador para resfriamento rápido, duas embaladoras a vácuo, três termocirculadores, dois processadores profissionais, um defumador e uma fritadeira com controle digital para fritar torresmos.

O gerenciamento do Boteco era misturado com a administração da casa e, quando Rodrigo assumiu, começou a colocar ordem nas coisas, tornando a gestão totalmente voltada para o restaurante.

Rodrigo tem hoje 40 funcionários, que passam por treinamento constante sobre os produtos e o atendimento, através de especialistas sobre cerveja ou sobre café, além de palestras motivacionais. Há poucos meses, investiu 100 mil reais para a construção de um espaço na sobreloja para desenvolvimento de pessoal, com cozinha experimental, sala de estudos com recursos multimídia e biblioteca especializada.

Rodrigo conseguiu transformar o boteco num dos restaurantes que deram certo não apenas com criatividade, mas com boa gestão.

La Casserole

O La Casserole foi inaugurado em 1954, no Largo do Arouche, centro de São Paulo, numa região cercada de teatros e casas noturnas. O restaurante era pequeno, acolhedor, servindo pratos típicos e driblando as dificuldades de fornecimento da época.

Quatro anos depois, a casa tinha duplicado de tamanho, mantendo o aspecto que tem ainda hoje, com 40 mesas, rodeadas de espelhos, fotos e pôsteres antigos.

A equipe de funcionários mantém empregados bem antigos, como o cozinheiro responsável pela preparação das receitas tradicionais, que trabalha lá há 50 anos. Os garçons com mais tempo de casa conhecem a clientela e atendem segundo a preferência de cada um.

O segredo do La Casserole é a cozinha artesanal, criando pratos novos, desde a concepção à execução e, por mais romântico que pareça o trabalho da cozinha, sua administração é feita através da sistematização de todos os procedimentos. A gestão mantém um roteiro completo para cada prato, desde a lista de ingredientes até o modo correto de preparação.

A casa possui 12 garçons e 12 cozinheiros, que se dividem em dois turnos, atendendo o almoço e o jantar. Os grupos não se encontram e, para mantê-los unidos, são promovidas reuniões mensais de desempenho, isso porque o padrão deve ser sempre o mesmo e a comunicação entre os membros da equipe impecável, sempre com espírito de cooperação.

Peixe na Telha

Há cerca de 20 anos, a casa de veraneio de Roselis de Moura, na praia de Porto de Galinhas, em Pernambuco, foi transformada num restaurante. Depois do fim de seu casamento, ela resolveu desenvolver seus dotes culinários.

Montou um estabelecimento com 30 mesas, aprendeu um jeito de servir peixes sobre telhas cerâmicas (que era novidade na época) e pegou carona no aumento do fluxo de turistas, fazendo o negócio crescer.

Hoje, o Peixe na Telha comporta 240 pessoas, além das 80 cadeiras de praia instaladas na areia nos dias de sol. A evolução do restaurante só foi possível porque Roselis se concentrou na cozinha e, há dez anos, entregou a gestão para a filha, Nicole, que é administradora de empresas.

Nicole conta que, quando assumiu, não havia no restaurante qualquer rotina administrativa. Diante disso, começou a pôr em prática o que aprendia na faculdade, criando meios de controle e fazendo o restaurante funcionar como empresa.

As equipes de trabalho do salão e da cozinha, atualmente, fazem treinamento pelo menos uma vez por ano em entidades como Senai, Sesc e Abrasel. Com um grupo de 15 garçons, todos fazem cursos pela internet sobre atendimento ao turista. De acordo com o desempenho, recebem bônus que pode chegar a 20% do salário e essa política ajuda também a reduzir a rotatividade.

Os funcionários da cozinha trabalham sob orientação de um nutricionista, fazendo exames de saúde de seis em seis meses, por conta do restaurante. Se for preciso, Nicole oferece até os medicamentos. Além disso, exige que todos passem por cursos de práticas e de segurança.

Conclusão

Seja diferente, inove, evolua, inscreva-se em nossa newsletter !

Os três exemplos que mostramos apresentam restaurantes que deram certo em razão, principalmente da gestão. Se você tem problemas de gerenciamento de seu restaurante, procure nosso pessoal. Temos diversas soluções de gestão contábil e financeira para melhorar a  administração de seu restaurante.

Venha tomar um café conosco!

Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1